sábado, 28 de dezembro de 2013

Planos para 2014

Deixando 2013 para trás...

E ai? Como foi o ano de 2013 para vocês...
O meu foi bem meia boca... Reclamei demais, sofri demais por coisas idiotas...
Sabe quando você fica pensando nas coisas que você não tem e provavelmente não vai ter? Pois bem, essa coisa é mais ou menos um resumo do meu ano. Eu me lembro de ter pedido pelo menos umas dez vezes para ficar cego só para não ter que ver as coisas que eu nunca tive e nem terei...
Só agora vejo que é uma grande idiotice... Eu não preciso de um homem para ficar feliz, bem, eu preciso de um homem. E esse homem sou eu mesmo. Só preciso aprender a me amar.
Não vale a pena ficar sofrendo pelos outros (principalmente quando esses outros não existem)...
Posso começar a minha listinha de promessas (que eu vou tentar ao máximo cumprir, mas vou acabar ignorando em algum momento do ano que vem)?

*Tentar reclamar menos da vida
Minha vida não está boa, mas tem pessoas que estão sofrendo mais, que tem problemas maiores. (Bem, isso não diminui os meus problemas completamente, mas vocês me entenderam.)

*Tentar gostar mais de mim
Tem uma música que diz que aprender a se amar é o maior amor de todos. Nessa parte ela pode estar certa. Mas ai na frase seguinte vem um grande erro. A música diz que é fácil conquistar esse amor. E aprender a se amar não é fácil. E fica mais difícil quando você começa a se ver com os olhos dos outros.

*Tentar pensar mais nas outras pessoas
Todos nós sofremos com a "síndrome de 'sou o centro do mundo'", o que não é tão ruim. Faz com que nos sintamos um pouco importantes. Mas acho que, no meu caso, é isso que me deixa para baixo. Foco demais em mim mesmo e meus problemas parecem grandes demais, pesados demais. Não quero sugar os problemas dos outros, mas não quero ser tão indiferente.

*Ser mais sociável
Juro que eu tento. As vezes eu até puxo assunto com as pessoas (e acreditem, isso é complicado demais. Sou uma pessoa muito tímida. Aqui não parece, mas isso é por causa da "segurança" que estar atrás da tela do computador nos dá). Sou tímido com as pessoas que eu não conheço, as que eu conheço me mandam calar a boca.

*Cuidar mais de mim (?)
Então, sabe a coisa de ligar o "Foda-se" e sair caminhando? Acho que liguei o "foda-se" para a pessoa errada. Liguei para mim mesmo e fico ligando para as pessoas. Eu me abandonei, estou uma bagunça. Talvez isso esteja relacionado com a minha "síndrome de bicho do mato" (detesto sair de casa por causa dos olhares e risos das pessoas).

Tem outras coisas... Com certeza tem, mas não me lembro agora... Será que eu consigo fazer pelo menos uma dessas coisas? Se conseguir fazer pelo menos uma já vou considerar a vitória do século. Sem brincadeira...

2014 tem que ser o ano que eu provo para mim mesmo que eu não preciso estar com nenhum homem para ficar feliz. Dói ver aquelas coisas que eu nunca vou ter? Dói, mas não é o fim do mundo. E eu vou tentar parar de encarar isso como se fosse o fim.

E quais são as promessas de vocês? Quais foram as coisas erradas (que não gostaram de ter feito) que pretendem mudar em 2014? O que esperam de 2014? Digam-me tudo, não escondam nada...

Não sei quando vou conseguir postar aqui novamente, então já deixo o meu "FELIZ ANO NOVO" para vocês e um "FELIZ NATAL" (atrasado) (Não sou fã de Natal, fiquei em casa, bagunçado vendo televisão. Fui bem Grinch, nem "Feliz Natal" eu dei).

Vejo vocês em 2014!
Espero que com boas notícias e bons pensamentos...

P.S.: Criei uma página no facebook para o blog... é só procurar por Gay Things_BR no facebook que vão achar a page... Curtam lá...

sábado, 26 de outubro de 2013

Futuros Quebradores de Lâmpadas

    Parabéns senhores pais, a nova geração de quebradores de lâmpadas está sendo bem ensinada. Estão conseguindo passar seus valores para os seus filhos: intolerância e falta de respeito. No futuro eles serão os “homens de bem”. Serão os que saem dizendo que acreditam em Deus, mas são totalmente insensíveis quando se trata do próximo.
    Continuem assim. Estão fazendo um ótimo trabalho criando os monstros de amanhã.
Um ônibus cheio de pirralhos estúpidos, foi o que vi. Dessa vez realmente eram crianças, mas não é por isso que vou dizer que são inocentes. Tenho certeza de que todas aquelas crianças sabem beijar na boca e muito mais.
    Eu estava parado, apenas esperando o ônibus. E quantas ofensas eu ouvi em silêncio (sim, porque xingar ou fazer gestos obscenos para aquelas pragas seria como apagar fogo com gasolina)? Incontáveis...
    “Vire homem!”
    “Olha o cabelo dele!”
    ...

    Eles apontavam, riam, se espremiam na janela para ver a criatura que estava no ponto.
Os pais estavam junto, mas não fizeram nada. Não se incomodaram com aquilo. No máximo acharam engraçadinho seus filhinhos (machos) sendo “homens”.
    Será que vão ficar orgulhosos ao ver seus filhos que não tiveram limite nem educação atrás das grades? Consigo vê-los dizendo que os filhos, que atearam fogo em uma pessoa viva, são apenas crianças e não sabiam o que estavam fazendo.
    “Eles não sabiam que o fogo podia matar...”
    “Eles não sabem o estrago que suas palavras fazem com uma pessoa...”

    É claro que sabem. Eles se alegram ao ver que as outras pessoas estão mal. Uma lágrima, é o que eles querem. Uma lágrima e eles vão a loucura.
Fui muito bem educado pela minha mãe e pela vida. Tem muitas coisas que não me agradam, mas são problemas meus. Não tenho que sair apontando para as pessoas. Não tenho que ridicularizar ninguém. Não é desse jeito que fico feliz.
    Fico me perguntando se essas pessoas sabem o que é empatia. Me pergunto como elas seriam se tivessem apenas um pingo de empatia. Talvez não fizessem o que fazem, pois sentiriam na pele o mal que estavam fazendo. Eles pensariam nos outros antes de proferir qualquer ofensa.
    Minha irmã tem seis anos e já perdi a conta de quantas vezes ela já chegou em casa chorando porque um moleque do colégio a chamou de piranha. Na certa essa é a educação que ele recebe em casa. O pai, que quer que ele seja macho, deve pensar que isso faz parte de ser homem.

    “Sou mais macho do que muito homem.”

    Posso bater no peito e dizer isso.
    Eu vejo quem é homem e quem não é pela postura pelo jeito que ele age com os outros e não pelo número de garotas sem um pingo de amor próprio eles foderam. Gritar ofensas para gays (ou para qualquer um que você julgue inferior) não vai fazer com que você seja mais homem (ou mais magro, ou menos negro, ou mais bonito, ou mais inteligente...).

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Saindo do armário?!

    Acho que já perguntei aqui como foi para vocês... mas acho que tenho que perguntar novamente. Isso porque nesse sábado estou prestes a presenciar uma (possível) grande mudança...
    Um amigo, que também é gay, está decidido a contar para a nossa amiga que ele é gay. Estou bem ansioso com tudo isso. Bem, ainda não tirou meu sono, mas tenho me pegado pensando nisso. Não sei como vai ser a reação dela. Tento imaginar que a reação será boa, mas não sei. As pessoas nos surpreendem sempre. As vezes as pessoas que parecem ser as mais abertas para aceitar certas coisas são as que tem mais dificuldade.
    E, bem, eu devo acabar saindo do armário por tabela. Tenho quase certeza de que ela dirá: "Eu achei que você fosse gay." comigo... Me conheço, vou estar tremendo dos pés a cabeça... estou treinando para dizer apenas uma coisa: "sou."
    O lado positivo é que vai ser mais uma pessoa com a qual poderei ser eu mesmo... Mas o lado negativo, como eu disse antes, é não saber qual vai ser a reação dela.
Já contaram para algum amigo ou amiga? A reação foi boa ou ruim?

    Faltou dizer que essa minha amiga está em uma fase super religiosa... Então isso complica um pouco, não? Bem, conheço alguns religiosos que são mente aberta com tudo. Sério, dá vontade de criar uma máquina de clonagem só para que pessoas como eles sejam mais comuns... Dedos cruzados...

Cartinha do avô para a filha

    Nessas horas desejo ter uma máquina para clonar pessoas... Esse avô merece ser clonado e espalhado pelo mundo. Imagina como as coisas seriam se tivéssemos mais pessoas como ele...

O que eles dizem...

"...Quando se pensa em alguém assim logo se imagina que o cara gosta de se vestir de mulher, gosta de 'dar' e gosta de qualquer homem. E isso, pelo menos para mim, não é verdade..."

    Esse é um trecho do livro "O Terceiro Travesseiro", que eu estou adorando cada página. Reforço a indicação aqui... Leiam pq é bom.

    Ainda ouço algumas coisas que me dão ânsia... São tantos estereótipos...

    O que ouvi ontem?
    "Estou falando que gay não presta, são todos falsos..." Foi o que uma prima minha disse... Tipo, oi?! De onde ela tirou aquilo? É certo isso de pegar o comportamento de uma pessoa e generalizar? Sair espalhando como se todos agissem daquele jeito? De onde vem isso? É o mesmo que dizer que todos os baianos são adeptos do candomblé ou que todo carioca se amarra em funk.

    O que mais tenho ouvido?
    "Ele usa barba e não fala frouxo, não pode ser gay." Quem disse isso foi minha mãe. Hello, eu uso barba e não falo frouxo (pelo menos não acho que falo... sério, se não fosse meu cabelo diriam que sou hetero). Será que ela tem noção de quantos gays usam barba, tem peito peludo e não falam frouxo?

    "Gays tem tanta inveja de mulher que querem ser melhores do que elas." Essa foi minha adorável irmã que sofreu uma lavagem cerebral faz pouco tempo (nem sei qual é a religião que ela segue, mas não fez bem para ela.) Não tenho inveja de mulheres e nem sonho em ser uma. Não me imagino vestido de mulher nem nada. Pra dizer a verdade nem acho os sapatos que mulheres usam bonitos, parecem ser bem desconfortáveis... Porque ficar com ciúme? Admiro muito as mulheres que são fortes (até em filmes prefiro as que não ficam paradas esperando por socorro.)
Admirar uma pessoa forte é inveja? É querer ser a pessoa? Se for assim é melhor a Beyoncé se cuidar, pq eu vou acordar no lugar dela amanhã.

    "Todo gay gosta da Madona ou da Lady Gaga." Minha outra prima disse isso... O que posso dizer?
Eu não sou fã de nenhuma das duas... Não vou dizer que nunca ouvi as músicas. Eu ouço, não sou do tipo que critica sem ter visto ou ouvido antes. O que eu gosto mesmo é de rock e pop rock... Escuto outros tipos de música, mas nem grudam aqui... No momento o que mais ouço é Imagine Dragons, Linkin Park, The Rasmus, The Pretty Reckless... Como será que minha prima me definiria?

    "Eu não ficaria perto de um gay, ele vai querer ficar comigo." O pesadelo dos heteros. Primeiro de tudo: coloquem a bolinha no chão, vocês não são isso tudo. Não nos achamos no lixo pra saírmos nos atracando com qualquer coisa que se mexe. Quem faz isso é hetero que gosta de dizer que é homem. Vê uma saia e já vai para cima. Não generelizem. Existem gays sem vergonha, do mesmo jeito que existem heteros sem vergonha. Sou tão cheio de pudores que poderia viver em um monastério e nem pegaria fogo. Tenho mais pudor do que pessoas que passam as vidas na igreja.

    Nem se encaixa muito na coisa do estereótipo, mas é outra coisa que eu ouço muito e me irrita: "Fulano virou gay." Sério que ainda pensam isso? ninguém vira nada. A pessoa sempre foi, você é que nunca percebeu ou fingiu não ver. Simples assim...

    Só parem com os estereótipos... Meninos que assistem musicais não são gays só por causa disso... Meninos que choram não são gays por isso... Do mesmo jeito que meninas que se guardam não são lésbicas pq não saem ficando com qualquer um.

sábado, 19 de outubro de 2013

Sugestões



Livro: O Terceiro Travesseiro - Nelson Luiz de Carvalho

    Ainda não li o livro, mas um amigo está lendo e disse que é muito bom. O Terceiro Travesseiro entrou para a minha lista de leitura.

Sinopse: Baseado em fatos reais, este romance desafia rótulos e hipocrisias, revelando os meados de consciência de Marcus, um jovem comum da classe média paulistana. Com o melhor amigo, Renato, descobre o amor e compreende que os dois precisarão encontrar o equilíbrio entre o que sentem e o que a família e a sociedade esperam deles, até que um terceiro personagem aparece.

    Os que tem skoob podem encontrá-lo clicando aqui.

Música: Matt Fishel - Not Thinking Straight

    Conheci o trabalho do Matt Fishel em uma página do facebook... depois disso baixei umas músicas e assisti alguns vídeos e me apaixonei... Não sei de que tipo de música vocês gostam, mas sugiro que deem uma olhada no trabalho dele.. Radio-Friendly Pop Song, Testament, When Boy Meets Boy... Assistam os vídeos no youtube e verão que ele é bom no que faz.

Filme: Kill Your Darlings

    Ainda não vi o filme, mas estou morto de vontade de assistir (e não é só porque o Daniel Radcliffe está nele).
 
Wikipédia: Kill Your Darlings é um filme estadunidense estrelado pelo ator Daniel Radcliffe,1 que foi lançado dia 14 de março de 2013 nos Estados Unidos.2 ainda sem título e/ou data de lançamento em países de língua portuguesa. :(
    O assassinato de David Kammerer faz com que três dos poetas mais famosos da geração beat se aproximem: Allen Ginsberg, Jack Kerouac e William Burroughs.
   

Sou Virgem

    Não, essa postagem não é nenhum convite para sexo.
    Essa postagem vai para os meninos e as meninas.
    Eu sei que existe uma pressão que vem de vários lados para que deixemos de ser virgens. Somos taxados como atrasados, as pessoas olham torto. Mas eu quero dizer uma coisa: NÃO É FEIO SER VIRGEM!
    Antigamente era feio para as meninas quando não eram virgens, hoje a coisa parece invertida. O que não é legal.
    Não estou aqui para fazer um manifesto em favor da virgindade. Cada um tem seu corpo e faz com ele o que bem entende. Mas seria bom se não fizessemos as coisas por pressão. Seria legal se respeitássemos o nosso corpo, fazer as coisas quando estivermos prontos.
    Deve ser coisa do meu lado Disney, mas eu não quero olhar para trás e me lembrar que minha primeira vez foi em qualquer lugar de qualquer jeito com um estranho qualquer. Deve ser ruim ter tais lembranças não.
    Como deixo sempre claro: Eu sou virgem (E posso dizer que é por opção. Homem pra fazer sacanagem tem aos montes. Em cada esquina você encontra um. Mas não é isso que eu quero) e tenho 22 anos (sei que escrevo como uma garotinha de 14 anos, mas não tenho isso). Estou bem sendo virgem. Não vou mentir, tem dias que o que mais quero e abandonar a virgindade, mas isso é coisa de momento... Apenas vontades do meu lado mais, digamos, safadinho... Mas, vontade é coisa que dá e passa.. Lembrem-se disso.

domingo, 8 de setembro de 2013

GIF: Zac Efron














Zac Efron... Ele já foi meu namorado, sabiam? Foi meu namorado em muitos pensamentos, mas tinha a Vanessa Hudgens querendo ele... Bons tempos aqueles... Tudo era tão mais simples... Quem era o seu namorado na sua época Disney (acho que todo mundo já teve sua fase Disney, não?)?


Radio-Friendly Pop Song

Matt Fishel
Radio-Friendly Pop Song

It's a pleasure to meet you, my friend
Come take a seat at my desk
I gotta tell ya kid
The whole team is more than impressed
Your melodies and soar all of your chor uses shine
The lyrics are sound and your voice is fundamentally fine
But face it if you wanna make it onto radio
Kid you gotta do as I say
Change all the hims into hers
And just don't tell the world that you're sh...

Happy to help take my card
Please think about what I've said
Do, do, do, do, do, do, do, do
But this is an industry where people make many so your art has to sell
Blah, blah, blah, blah
And you should never seek to challenge an audience
They buy what they're told and we never get it wrong
Go write a nonoffensive tasteful conventional song
Like this one

Girls like boys and boys like girls
And that's the way it should be
Forever

Welcome to tinseltown
Kid I'm gonna make you a star!
You got the fire in your gut and everything that you need to go far
You're a talented guy
You could shake Hollywood to the ground
And with us on your side, plus your look
You're gonna conquer this town
But face it if you wanna break into this business kid you gotta play the part
And you'll never play a leading man if you let onto your fans the truth about who you are
Just remember that

Girls like boys and boys like girls
And that's the way it has been
Forever Yeah

Girls like boys and boys like girls
And that's the way it will be
Forever

On the radio in hollywood
On the TV shows for the greater good
Oh, oh, oh, oh, oh, oh, oh, oh, oh, oh, oh, oh...
He said "think about the children!"
Think about the children.

You wanted me to write a hit to record for the radio
Are you never gonna get it?
The kids already know

Some girls like girls
Some boys got a boyfriends
I like guys and they like me
We hold hands, make out, and do all the things that lovers do

Some girls like girls
Some boys got a boyfriends
I like guys and they like me
We hold hands, make out, and do all the things that lovers do

Girls like boys and boys like girls
And that's the way it has been
Forever Yeah

Girls like boys and boys like girls
And that's the way it will be
Whatever

Descoberta


    Então, acho que ainda não falei sobre como foi a minha infância aqui. A coisa de se descobrir gay e tal. Então, vamos lá...
    Eu me lembro que quando era criança, antes de dormir, ficava imaginando como seria a vida perfeita (coisa que eu faço até hoje, só que hoje em dia eu faço isso enquanto estou acordado também)... Lembro que nessa vida perfeita eu sempre era uma garotinha... Era estranho me imaginar como um garoto na vida perfeita...
    Nunca tive essa coisa de conflito interno, de sofrer por ser o que eu sou. Demorei um tempo para aceitar que eu era um garoto, pra me ver como um garoto na vida perfeita.
    Sempre que ouvia falar de gays era do pior jeito possível, sempre de forma pejorativa. A imagem de gay que eu tinha quando era criança e a imagem estereotipada que todo mundo tem... o carinha exagerado e cheio de trejeitos que se joga sobre qualquer um homem... Mas eu não era daquele jeito. Até cheguei a pensar que com o passar do tempo eu ficaria daquele jeito... Isso era apenas falta de informação (um mal que acomete o mundo todo)...
    Não vou mentir, por muitas vezes (quando acreditava em Deus) rezei pedindo para que ele me desse peito, para que fizesse de mim uma garota... mas isso nunca aconteceu... Depois que eu descobri, com 14 anos, que apesar das pessoas dizerem que era anormal, é normal pessoas do mesmo sexo se gostarem... Foi ai que um mundo se abriu para mim... um mundo no qual para ser perfeito eu não precisaria ser uma garota ou me vestir como uma... Parece besteira, mas foi uma grande libertação saber que eu não era o único no mundo...
    E com vocês, como foi? Teve historinha triste? A minha ainda não acabou, ainda não tive coragem de dizer para o mundo que sou o que sou (e gosto de ser como sou. Jamais pediria para nascer novamente não sendo como e quem eu sou... bem, eu mudaria minha aparência, mas não a minha essência)...

    Lembro que quando eu era pequeno minha mãe me levou ao psicólogo... ela devia achar que homossexualidade é doença... Lembro que em uma conversa a psicóloga pediu para que eu desenhasse um menino e uma menina... O menino estava triste e a menina estava feliz... ela nunca me disse do que se tratava, mas depois de um tempo acho que descobri porque ele estava triste e ela estava feliz...

sábado, 31 de agosto de 2013

Wrecking Ball

    Se eu disser Miley Cyrus agora qual será a primeira imagem que se formará na sua mente?
    Sei qual vai ser... Miley Vida Loka no VMA, acertei?
    Sei que acertei... Fiquei meio chocado com aquilo também. Não pelo tipo de dança (nós brasileiros já vimos coisas piores: quadradinho de oito, quadradinho borboleta... vergonha nacional... anyway) mas por quem estava fazendo a dança. Ficou estranho, foi impactante porque por mais vida loka que ela estivesse ninguém esperava aquilo...
    O mundo só fala disso, o que deve ter abafado o lançamento da música nova da Miley... A música se chama "Wrecking Ball"... é uma boa música... melhor do que "We can't stop" (que eu nãoa cho tão ruim, mas depois do clipe fiquei com nojo da música)... Se o resto das músicas da Miley forem como Wrecking ball eu baixo o CD todo...
    Joguem aí no google, não vão se arrepender... pelo menos eu não me arrependi... Entre a nova da Lady Gaga e a da Katy Perry eu fico com a da Miley Vida Loka Cyrus...

   

Matt Fishel

    Conhecem Matt Fishel?
    Esbarrei nele sem querer e gostei...
    Matt Fishel é um produtor, compositor, cantor britânico.
    Bem, não sei praticamente nada sobre ele, o que sei foi o que olhei na Wikipédia depois de ouvir falar sobre seu clipe novo (testament)...
    Baixei algumas músicas dele, do novo CD (Not Thinking Straight) e das que baixei minha favorita é "When Boy Meets Boy".
    Matt Fishel é abertamente gay e suas músicas falam sobre o tema. Bem, para os que não conhecem fica a indicação... Se já conhecem: qual é a sua música favotita?


Aqui tem um link para o vídeo da música "When Boy Meets Boy"...


Sim, você é preconceituoso (a)!

    "Eu não sou preconceituosa (o). Eu até deixei que ficassem perto de mim."
    "Eu não sou preconceituosa (o), mas é falta de vergonha dois homens se beijando."
    "Eu não sou preconceituosa (o), mas tem que fazer isso na minha frente?"
    "Eu não sou preconceituosa (o), tenho amigos gays."

    Quem já ouviu essas frases?
    Eu as ouço quase todos os dias. É incrível o quanto as pessoas querem ser politicamente corretas, não? Ficam fingindo (bem, pelo menos pensam que enganam) que não tem preconceito (não existe pessoa sem preconceito)... Parem de se esconder atrás do politicamente correto.
    Quando você diz que seu amigo é "viadinho" ou "gayzinho" você, ao meu ver, perde na hora o direito de chamar a pessoa de amigo. Porque diminuir as pessoas? É gay, ponto. Não precisa diminuir como se fosse uma ofensa.
   
    "É um ambiente de família. Ai você entra e encontra dois caras (duas mulheres) se beijando? Que nojo."

    Mais uma típica frase dos preconceituosos. Porque é tão errado que pessoas do mesmo sexo se beijem. Pessoas do sexo oposto tem o direito de demonstrar afeto onde quiserem. Porque nós não podemos. Logo irão sugerir que nos escondamos dentro de casa e finjamos ser algo que não somos.
    A cena mais chocante que já vi na minha vida não foi de homossecuais... Imaginem só, um casal hetero sentado em uma mesinha se beijando. Até aí tudo bem, só que o garoto estava com a mão dentro da saia da garota... Isso é bem normal, não? Coisa de família...
    Vou morrer sem entender porque as pessoas se incomodam mais com a vida alheia do que com a própria vida... Deve ser por isso que a humanindade se encontra desse jeito, perdida... Ao invés de ficarem se preocupando com quem está beijando quem deviam se preocupar com quem está nos roubando, deviam se preocupar com quem está passando fome, com quem está morrendo por motivos torpes... Se eu beijar um cara no meio da rua, isso não afeta em nada a vida dos outros... Não me incomodo quando vejo casais heteros se agarrando, quase fazendo sexo no meio da rua. Porque as pessoas se incomodariam comigo andando de mãos dadas com outro homem?
    Será que Freud explica?
   
    Live your life, just forget about mine.

domingo, 18 de agosto de 2013

Queer as Folk

    Alguém aí já assistiu?
    Vou começar a ver (provavelmente) essa semana. Consegui baixar algumas partes do primeiro episódio da primeira temporada no youtube e achei bem... caliente...
    Sei que o seriado já foi cancelado em 2005, mas só vou ver agora pq eu não tenho internet para baixar episódios de séries... mal consigo abrir o blog... anyway...
    Um amigo está baixando e ele disse que eu tinha que assistir pq é muito bom. Ai ele disse que vai gravar em uns CDs para mim... Estou muito ansioso para poder assistir tudo...
   
Queer As Folk é o nome da série estadunidense e canadense, produzida pelo canal Showtime e Temple Street Productions. O seriado foi exibido originalmente nos Estados Unidos, pelo canal Showtime e no Canadá, pelo canal Showcase, sendo transmitido entre 3 de dezembro de 2000 à 7 de agosto de 2005 (nos Estados Unidos) e entre 22 de janeiro de 2001 à 15 de agosto de 2005 (no Canadá).
O nome do seriado é uma brincadeira com um ditado em inglês, de "ninguém é tão estranho como nós" ("nobody is so weird as folk"), para "ninguém é tão gay como nós" ("nobody is so queer as folk").
Adaptado por Ron Cowen e Daniel Lipman, a série foi baseada no britânico Queer As Folk, de Russell T Davies. O seriado foi dirigido por Russell Mulcahy, Bruce McDonald, David Wellington, Kelly Makin, John Greyson, Jeremy Podeswa e Michael DeCarlo e tendo como escritores principais Ron Cowen e Daniel Lipman. O seriado é distribuído pela Warner Bros. Television.
Queer As Folk narra a história de cinco homens homossexuais que vivem em Pittsburgh, Pennsylvania: Brian, Justin, Michael, Emmett e Ted. Compondo o elenco principal, ainda temos o casal de lésbicas, Lindsay e Melanie e a mãe orgulhosa de Michael, Debbie.
Entre as duas versões, existem suas diferenças do qual destacamos: a quantidade de personagens, as tramas principais e as cenas de nudez.
Este seriado é um marco na luta dos direitos GLBT, pois investe em uma trama sem cunho pornográfico ou apelativo, mostrando homossexuais como pessoas comuns, vivendo em seu dia-a-dia. As dificuldades e conquistas desta comunidade são brilhantemente retratadas nesta produção.
No Brasil, a série recebeu o nome de Os Assumidos e foi transmitida pelo canal à cabo Cinemax. Já em Portugal, a série foi chamada de Diferentes Como Nós e teve sua exibição durante as madrugadas no canal TVI. Em ambos países, nunca tiveram lançamento dos DVDs de suas temporadas.

domingo, 4 de agosto de 2013

To Get Things Out Off My Mind

    “If you let your kids wear these kind of clothes they’ll turn into gay.”
    “Nobody was born gay.”
    “Being gay is a psychological thing.”
    “God has created men to be with women.”
    “He is just a kid he doesn’t know what is right and what’s wrong.”
    “He should act like a man, he was born as a man, he should be a man.”

    Yep, I heard these lines today.
    Was I watching TV? Was I on the street?
    No, I was at my home. My sister and a cousin of mine said that. I was really shocked. I’m not an out gay, but if people look at me they can see that I am not straight. They just pretend not to see it.
    Well, the words hurt me so bad. They were talking about being gay as if it was some kind of sickness, some king of thing you can acquire.
    Where was I?
    My throat was full of words to say, but I didn’t say them. They are stuck here. I’m not sick and I’m not a pervert as they said. And yes, I was born this way. I didn’t have the chance to chose between be a straight guy or a gay guy. How can they say that people turn into gay?
    I just feel bad because of their ignorance.
    I don’t want to say that religious people are mean, but I have to. Well, I won’t say that all of them are mean. I’ve seen pope Francis and he can see us as human being.
   They just got their brains changed by some church thing. They can’t think for themselves. I don’t believe in God and I have to say: It is okay for you to believe in something, but you can’t be blind for the rest of the world just because of the page of an old and doubtable book says that you must do something, you must obey.
    Religious people are worse than faithless people. Religious people judge you. Religious people want to dominate you. Religious people want to change your mind. These kind of people make me want to be far away from religiousness. They make me believe that god is unreal.
    They say that Jesus was a good guy. They say that Jesus would never judge someone. They say that Jesus would love everyone. And they say that they follow Jesus steps… Can you explain me how?
   

    God, if you really exist make them think for themselves. Make them see the light of knowledge. Enlighten them, and please make them act as they use to say that you acted. Thank you.
   

sábado, 3 de agosto de 2013

Harry Styles e Nick Grimshaw

Harry Styles (da boyband One Direction), em uma entrevista a revista GQ, declarou que não é bissexual e negou a existência de uma relação com Nick Grimshaw (apresentador de TV e rádio...)

Nick Jonas

   

Fotos

A Vida Melhora Juntos
Esperança.


"Eu não ligo se você é hetero, desde que você não tente me 'transformar' em hetero."


 Algumas fotos que achei no tumblr do "It Gets Better" e do "NOH8"...

Luz

    Me alegrei ao ver esses dois. Geralmente quando vejo pessoas ligadas a igreja falando sobre os gays eles nos jogam diretamente no inferno com julgamentos vazios e ultrapassados. Mas então aparecem esses dois, que conseguem ver que somo pessoas tão normais quanto as que nos julgam. Não acredito em Deus, não tenho religião, mas me alegrei com isso. Esses dois ganharam meu respeito. Não por terem falado essas palavras em relação aos gays, mas sim por que eles realmente estão fazendo como está na bíblia (que os cristões não seguem. Dizem que seguem, mas não o fazem). Não estão julgando as pessoas, estão passando palavras reconfortantes, palavras de amor. Do tipo que Jesus passaria adiante. Nossa, estou parecendo uma pessoa super religiosa agora, não? Já frequentei bastante a igreja, mas então as coisas deixaram de fazer sentido.



That's so Raven!

    Em um tweet a atriz/cantora que interpretava a Raven Baxter no seriado "As Visões da Raven" deu a entender que ela é lésbica.
     
    "Eu finalmente posso me casar! Viva governo! Tão orgulhosa de você."

    Há algum tempo atrás li rumores de que ela era lésbica e morava com a namorada em Nova York. Bem, os boatos ficaram para trás.
    Raven merece parabéns, por finalmente ser quem ela realmente é.
    Parece besteira, mas sempre que vejo essas coisas me sinto mais confiante. Sempre tenho mais certeza de que é a coisa certa a fazer. Talvez meu mal humor passe depois de me livrar desse peso e dessa mentira.

    Congratulations Raven! You joined the team of people who make me want to be myself without care about what people say. They'll always say things about me: good and evil... So, let them talk and let me be myself. That's the idea, the plan to have a happy life.

   

sábado, 27 de julho de 2013

Messi

Então, quando eu me interesso por futebol é nesse tipo de coisa que eu fico de olho. Não me pergunte sobre regras do futebol pq não sei nenhuma. Mas se me perguntar o nome de alguns jogadores eu te digo sem nem mesmo pensar.
Sei que ele não é o homem mais bonito do mundo, mas seduz bastante.





quarta-feira, 26 de junho de 2013

Estranha Capacidade de me Iludir

Então... Estava olhando pelo google e me deparei com essa imagem.
Eu tenho um lado bobo... qualquer um olharia para essa imagem e pensaria apenas em coisas relacionadas a sexo, mas eu tenho o dom de me iludir. Criei uma vida para nós dois, isso é normal? Provavelmente não... Mas pelo menos sendo assim (romântico ao extremo, quase Disney) eu não "empiranho"...
Anyway... nem ia colocar essa foto aqui. Pra dizer a verdade estava indo dormir... são quase duas da madrugada... mas ai me lembrei dessa foto... o meu "futuro-marino-em-uma-vida-que-só-existe-na-minha-cabeça"...
Bem, boa noite... e não sonhem com o meu marido... kkk's
#beaj!

p.s.: tirem o olho...

Ligeiramente Extraordinário

"Lá estava ele.
    Será que eu estava olhando muito descaradamente? Bem, por uns instantes eu não liguei para a descrição. Tudo que eu queria era que ele me notasse.
    Sabe aquela coisa boba que as pessoas chamam de amor? Pois bem, eu acho que estava sentindo isso. Era estranho, nunca tinha falado com ele. Só o via passar diante da minha mesa com seus amigos.
    O mundo dele parecia ser mais divertido do que o meu, porque ele perderia tempo olhando para os lados?
    Ele passara depressa, mas eu estava treinado para vê-lo, não importava a velocidade com a qual ele passava. Ele vestia uma bermuda branca com desenhos verdes e uma camiseta branca que casava muito bem com sua pele morena.
    O amor muda mesmo as pessoas, não? Sabem aquele perfume, o Kaiake? Pois bem, eu detesto esse perfume, mas quando ele o cheiro se torna o mais agradável do mundo..."


    Gostaram desse comecinho? "Ligeiramente Extraordinário" é um conto que eu comecei a escrever para postar no orkut, mas parei de usar o orkut e o conto ficou bem maior do que eu esperava. Estava com umas 60 páginas no word. Bem, aqui no blog tem uma boa parte dele, mas caso queiram ler mais é só votar na janelinha ao lado... Só pra eu saber...

    Ligeiramente Extraodinário conta a vida de uma garoto completamente normal e sem nenhum atributo que o diferencie do resto. O que é uma coisa ruim quando tudo o que você quer é chamar a atenção de um garoto que parece ser bom demais para todo mundo. Mas porque o nome "Ligeiramente Extraordinário"? Bem, a vida desse garoto passa de completamente monótona a extraordináriamente interessante em poucos dias... Só que toda essa "extraordinaridade" não se mostra a melhor coisa do mundo...

    Deem uma olhadinha no que já tem no blog e digam o que acham... podem deixar comentários nesse post mesmo...

    #Beaj!

    "Do nada ao céu, do céu ao inferno..." Essa poderia ser uma boa frase para descrever o conto...

Direitos Iguais

    Parabéns aos Estados Unidos por ter dado direitos iguais para todos os casais. Não digo isso por ser gay, digo isso porque é o certo. A grande diferença de um casal homo-afetivo para um casal hetero é o que eles fazem dentro de quatro paredes. O resto é tudo igual: pagam impostos, trabalham, são explorados... Agora me digam: Porque um casal homo-afetivo merece menos direitos?
    Bem, pelo menos nos Estados Unidos não é hora para reclamar disso, é um dia feliz para toda a comunidade LGBT. De verdade, estou muito feliz pela decisão, ter os direitos reconhecidos é muito bom. Nada mais justo.
    Mas quando penso no Brasil fico envergonhado.
    Alguém consegue acreditar que em pleno o século XXI existem pessoas que acreditam que a homossexualidade é uma doença. Sim, e algumas dessas pessoas tem um poder que não merecem no Brasil... Tipo o nosso Presidente da Comissão de Direitos Humanos (um homem racista, homofóbico, sexista... e pode adicionar mais coisas na lista...) ele inventou uma “cura gay”... O pior não foi ele ter criado tal projeto, o que deixa as coisas piores é que ele encontrou políticos tão idiotas quanto ele que votaram a favor de tal projeto.
    Então, ser gay no Brasil está prestes a ser considerado uma doença.
    Viram o contraste? Em um lado as pessoas têm seus direitos reconhecidos, no outro as pessoas estão quase sendo exorcizadas. Vi pessoas dizendo que os protestos que estavam rolando no Brasil sujavam a imagem do país lá fora. Sinceramente, o que suja a imagem do nosso país são esses políticos e seus projetos idiotas. Eles têm poder para fazer coisas boas, mas focam nas coisas erradas.
    Será que estou doente? Porque eu realmente não me sinto mal, mas se dizem que estou doente vou querer me aposentar por invalidez. Como vou trabalhar sendo gay? É arriscado eu infeccionar outras pessoas, porque deve ser uma doença contagiosa, não. Imaginem só: eu vivendo com uma doença a 22 anos e nem tinha percebido...


sábado, 22 de junho de 2013

Adam Levine - It Gets Better

Religião/ Protestos/ "Cura" gay

    Não, eu não estou aqui para converter ninguém. Só estou de saco cheio de ter pessoas me olhando torto quando digo que sou ateu. Acho que depois de dizer isso as pessoas te veem como um satânico... Pessoal, eu não acredito em Deus e nem no Diabo...
    "Mas você não acredita em milagres?" Sim, eu acredito em milagres, acredito que coisas inexplicáveis acontecem, mas eu não tenho que dar o crédito delas ao deus que vocês idolatram.
    Por um tempo achei que era apenas revolta(uma coisa que acontecia muito), mas agora percebo que simplesmente não acredito mais. Cansei de idolatrar algo que não é real. É o mesmo que idolatrar deuses gregos. O que faz com que a mitologia cristã seja mais real do que a grega?
minha contra Deus
    Roubando a frase do Felipe Neto: "um deus que condena as pessoas ao inferno por serem gays não merece minha adoração."
    E religião é uma coisa estranha, não acham? A bíblia sempre fala de um deus bondoso que perdoa e ama a todos, mas seus "representantes" na Terra só sabem espalhar o ódio e a xenofobia (sim, porque uns se acham melhores do que os outros que não seguem sua religião).
    Posso dizer que minha religião com Deus (que eu não acredito) pode ser considerada bem melhor agora que nãoa credito nele. Se as coisas estão ruins a culpa é minha (é o que as igrejas dizem), mas se elas melhoram o crédito vai para Deus... Errado: Se está ruim por minha culpa, vai ficar bom por minha culpa... chega de graças a Deus... é hora de eu me adorar um pouquinho... Não sabem por quanto tempo me senti um lixo por causa de palavras tortas de pessoas religiosas... Já tive pesadelos com o inferno que eles diziam que estava guardado para os gays... e eu era criança... mas ainda bem que não acredito nessas coisas idiotas...
    Vocês não me representam... E, quanto a "cura" que o tal do Feliciano luta para que aprovem: porque ele não inventa uma cura pra ignorância desses religiosos que não enxergam um palmo a frente? Porque ele não inventa uma cura para as palavras sujas que ele caga?
    Então... é bem isso, o recado que eu queria deixar: sou ateu, não sou nenhum satânico... e, não estou doente para precisar de algum tipo de cura...

p.s.¹: Viu como os protestos por educação são necessários? O Brasil está tão sem educação que uma pessoa torpe como o Feliciano chega ao poder e ao invés de fazer algo útil tenta aprovar uma cura para algo que não existe cura, porque não é doença.

p.s.²: As pessoas dizem que esse manifesto passa uma imagem ruim do Brasil para o mundo... para mim a imagem ruim que o Brasil passa para o mundo é a da corrupção e a de projetos absurdos como esse do Feliciano... e o pior é que ainda houve votação... caramba, vamos discutir sobre coisas sérias... Como deixam uma pessoa racista, homofóbica, machista... na presidência da comissão dos direitos humanos... Isso é uma imagem ruim para o Brasil...

sábado, 8 de junho de 2013

Top 7: #DEMI

    Bem, é melhor eu aproveitar que a internet está pegando... então vamos para mais um post...
    Durante esse tempo (enorme) que eu fiquei fora a Demi Lovato lançou um CD (o DEMI)... e eu ouvi bastante... Ouvi ao ponto de criar mais um 7list aqui...

1º - Heart Attack

    Ouvi um comentário de que Heart Attack era o melhor single que a Demi já tinha lançado. E eu concordo muito com isso, apesar de ser viciado em "Give Your Heart a Break". Geralmente enjoo dos singles primeiro, o que não aconteceu nesse CD... Tanto que Heart Attack ocupa o primeiro lugar no meu Top 7.
    "...and everytime I try to be myself it comes out wrong like a cry for help..." Me identifiquei muito com esse trecho da música.

2º - Without The Love

    Essa foi daquelas que você ouve na primeira vez e ela já gruda na sua cabeça. Aquela que passam alguns minutos e você se pega cantarolando. Bem, essa música é bem diferente das que eu costumo ouvir, mas eu gostei dela...

3º - I Hate You, Don't Leave Me

    Essa foi a última música do CD a ser lançada... e é muito boa, apesar de ser bem devagar...

4º - Warrior

    Essa eu gostei porque eu me identifico com as coisas que ela fala. A coisa de ser um guerreiro. No fundo todos somos guerreiros. Levantamos todos os dias e encaramos o mundo mesmo sendo como é. Ouçam, tenho certeza de que vão se identificar.

5º - Really Don't Care

    Essa eu gostei muito, e fiquei esperando mais por causa da participação da Cher Lloyd (teve um tempinho que eu fiquei viciado na Swagger Jagger que ela canta)... E não me decepcionou, gosto de músicas agitadas e ela é uma das agitadas do CD. A participação da Cher é bem pequena, mas eu gostei...
 
6º - Made In The USA

    Essa música é a segunda a ganhar um clipe nesse CD. Não sei se já foi lançado, provavelmente não. Vou ser sincero, não gostei dessa música no começo. O rítimo dela é legal, até me fazia lembrar de Party in the USA da Miley, mas não sei o porque não gostei dela... . agora eu já gosto, faz parte do meu Top 7... =)
Anyway..

7º - Neon Lights

    Essa entra para o Top 7 por ser agitada... gosto de músicas agitadas (já falei isso antes?) Nem tenho muita coisa para falar sobre essa música... não é a melhor, mas ainda assim eu gosto...

    Tem 14 músicas no CD... Two Pieces, In Case, Fire Starter, Something That We're Not, Never Been Hurt e Shouldn't Come Back...
    É, o Top 7 com a Taylor Swift ficou melhor, me diverti mais fazendo... anyway...

Long Distance Relationship

    Quanto tempo desde a última vez que eu postei aqui? Nem sei, só dei que faz muito tempo. Ainda nem tinha assistido a primeira temporada de Gossip Boy (e já saiu a segunda e o seriado acabou.. e eu ainda não assisti). Muita coisa aconteceu nesse tempinho - bem, não na minha vida... ela é sempre parada.


    Bem, vamos ao tema desse post: Namoro à distância.
    Alguém já teve um namoro à distância? Se sim:
    a) o que vocês acharam?
    b) quanto tempo durou?
    c) quando acabou sentiram mais falta de que?

    Nossa, porque você está tão interessado nesse assunto?
    Simples, um garoto me pediu em namoro - mas ele não mora aqui, bem nem mora no Brasil. Aparentemente eu só chamo a atenção de pessoas que moram em outros continentes. O que não serve muito para mim, não é?
    Eu aceitei o pedido, mas depois de um tempinho (algumas horas) já estava cansado. É legal saber que toda noite alguém vai querer falar com você, querer saber como foi o seu dia, mas para aí. Não tem o abraço, não tem o beijo... E, acho que meu coração está muito duro, porque nem o sentimento eu estou tendo. Deve ser por isso que fiquei com tantas dúvidas em relação aos namoros à distância... (Não me julguem, a vida me ensinou a fechar meu coração. Se você deixa qualquer um entrar acaba se ferrando).
    O meu "namoro" começou no domingo passado... desde então só nos falamos duas vezes... e ele sempre diz que está entediado (é o "oi" dele: I'm bored.). Alguma dica?
    Relacionamento à distânica... soa estranho quando você nunca nem mesmo esteve diante da pessoa, nem mesmo ouviu a voz... são apenas fotos - o que não é garantia de que aquele seja mesmo ele...
    

domingo, 10 de fevereiro de 2013

Gossip Boy: Episódio 1

    Jairus Moore, criado por sua tia e seu tio, se muda para Hollywood em seu aniversário de 18 anos a procura do amor. Ele conhece o bad boy Nathan Cross.

    Episódio 1: It Gets Better.



Gossip Boy

    Tenho certeza de que todos vocês já ouviram falar do mundialmente famosos seriado Gossip Girl. Mas gostaria de saber se já ouviram falar da websérie Gossip Boy.
    Lembro que quando descobri esse seriado estava procurando um nome para o blog. Acabei esbarrando nessa websérie e gostei bastante de saber que algo do tipo estava sendo produzido. O personagem principal é gay (bem, quase todos os personagens são).
    Os episódios são bem curtos, cerca de uns cinco minutos cada. A primeira temporada é composta por dez episódios que podem ser encontrados no youtube.
    Comecei a assistir esse fim de semana, minha internet é uma bosta, então é mais vantagem baixar os vídeos do que esperar que carreguem. Baixei apenas três (bem, minha internet é discada e os episódios ficam com aproximadamente uns 14mb... o que nos meus 32kbps viram quase duas horas).
    Vi no facebook do seriado que a segunda temporada está sendo gravada, e que novos atores estão chegando a websérie.

   O primeiro episódio mostra o personagem principal (Jaiurs) sendo expulso de casa pela mãe e pelo tio (padrasto, meu inglês não é dos melhores). Sei que ele vai morar com o namorado que conheceu pela internet. Mas é claro que as coisas complicam... tem os amigos do namorado, o desgaste na relação dos dois... Eu estou gostando bastante...

    Quem estiver interessado pode olhar o facebook da série clicando aqui.
    @GossipBoySeries é o twitter da websérie...

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Votem, participem!

    Bem, agora vocês escolhem quem será o próximo Eye Candy do blog... Basta votar do ladinho aqui no blog... Caso tenham algum outro nome em mente podem deixar o nome em um comentário bem aqui...
    Toda sugestão é bem vinda... não só nos Eye Candy como em qualquer coisa no blog... assuntos... e caso tenham alguma história pra contar basta escrever e mandar para insideofbruno@hotmail.com e eu coloco aqui no blog...
    O Eye Candy desse mês é o Darren Chris... quem será o de março?